Repsol comprometida com a Economia Circular

15/07/2021

Repsol comprometida com a Economia Circular

A economia circular é um novo modelo de produção e consumo que contribui para um crescimento sustentável ao longo do tempo. Com a economia circular promove-se a otimização de recursos, a redução do consumo de matérias-primas e a utilização de resíduos, reciclando-os ou dando-lhes uma nova vida para os transformar em novos produtos.


O objetivo da economia circular é, portanto, aproveitar ao máximo os recursos materiais de que dispomos, prolongando o ciclo de vida dos produtos. A ideia surge da imitação da natureza, onde tudo tem valor e tudo é aproveitado, onde o desperdício passa a ser um novo recurso. Assim, é possível manter o equilíbrio entre progresso e sustentabilidade.

Quase todos nós conhecemos a regra dos 3Rs, é essencial para o desenvolvimento sustentável e para a preservação do equilíbrio ambiental: Reduzir, Reutilizar e Reciclar. Ou seja, o que é obtido da natureza retorna a ela no final da sua vida útil, de uma forma cíclica e respeitando o ambiente.


Com a economia circular promove-se a optimização de recursos, a redução no consumo de matérias primas e o aproveitamento de resíduos, reciclando-os ou dando-lhes uma nova vida convertendo-os em novos produtos. A circularidade tem sempre adjacente o aproveitamento de resíduos ou do que foi considerado resíduo.


Até agora têm sido aplicado modelos de produção lineares, ou seja, extrair, produzir, consomir e descartar.


Na sociedade em que vivemos o ritmo de consumo está a acelerar, o que, embora sendo um modelo rápido, não é sustentável para o planeta.


A economia circular consiste num novo modelo de produção: passar de um modelo linear (extracção, produção, utilização, deposição final) para um modelo circular.


A economia circular estabelece um modelo de produção e um consumo mais sustentável, em que as matérias-primas são mantidas por mais tempo nos ciclos de produção e podem ser utilizadas de forma recorrente, fazendo assim gerar muito menos resíduos. Como o próprio nome sugere, a essência deste modelo é que os recursos sejam mantidos na economia o maior tempo possível, fazendo com que os resíduos que geramos sirvam de matéria-prima para outras indústrias.


A Repsol aderiu ao pacto de Economia Circular em outubro de 2017, promovido pelos Ministérios da Agricultura e Pescas, Alimentação e Ambiente, Economia, Indústria e Competitividade.


A Repsol desenvolve projetos circulares ao longo de toda a cadeia de valor, que vai desde a produção de energia e a obtenção de matéria-prima, até à comercialização de produtos e serviços mais sustentáveis como por exemplo as poliolefinas circulares que são a matéria-prima utilizada na fabricação de materiais plásticos.  O aproveitamento de resíduos, que de outra forma iriam parar a aterro e outros destinos, tornam-se matérias-primas alternativas que são incorporadas nos complexos industriais, limitando, assim, o uso de recursos não renováveis.