Repsol: a segurança e o ambiente

18/06/2021

Repsol: a segurança e o ambiente

Com um intuito pedagógico a empresa Repsol divulga frequentemente entre os seus colaboradores, e também a quem visita a empresa, informação sobre a flare, uma componente essencial numa unidade fabril que processe hidrocarbonetos. Esta informação torna-se importante para que a população esteja corretamente esclarecida e não surjam situações de alarmismo e desinformação quando a flare funciona.


A flare ou facho é um elemento imprescindível de segurança e de proteção do ambiente. A sua função consiste em eliminar, através de uma queima controlada, os gases e fluidos facilmente vaporizáveis que são processados numa situação pontual de paragem/arranque de fábricas ou de perturbação operacional. Com a combustão destes produtos residuais elimina-se o risco ambiental que causaria a sua emissão directa para a atmosfera, ao convertê-los em dióxido de carbono e vapor de água.


O Complexo Petroquímico da Repsol em Sines tem três flares (duas situadas no Complexo e outra no Terminal Portuário) sempre acesas, 24h por dia, 365 dias por ano e prontas para funcionar sempre que necessário. Estas três flares funcionam desde que o Complexo Industrial arrancou, nos anos 80, e estão permanentemente com os pilotos acesos. Os pilotos das flares só são apagados para manutenção em paragem geral do Complexo.


A título de exemplo, no período de maio de 2017 a maio de 2018, as 3 flares, funcionaram 26.280 horas (24 horas x 365 dias x 3 flares).


Em maio de 2018 ocorreu uma paragem geral do complexo que implicou o ‘apagar’ das flares. A paragem geral efetua-se a cada 5/6 anos e tem como objetivo realizar a manutenção, inspeção e o licenciamento de todos os equipamentos, nomeadamente, as flares.


A combustão ocorre na parte superior da flare chamada ‘cabeça’. Nesta zona é adicionado vapor de água à corrente de gás a fim de se conseguir uma combustão completa. Nestas condições não há produção de fumos. Se por algum motivo, o vapor não é suficiente, a combustão não é completa e gera fumo negro formado, na sua maioria, por partículas de carbono (fuligem).


Nas flares queimam-se hidrocarbonetos gasosos semelhantes aos combustíveis domésticos entre eles Hidrogénio/Propano/Propileno, Metano/Butano/Butadieno e Etano/Etileno.


Em situação normal a flare tem somente o piloto aceso, o penacho da chama é praticamente invisível, não se verifica ruído e a unidade fabril está em operação normal.


A finalizar importa reter que o correto funcionamento da flare garante a segurança da instalação industrial e do seu meio envolvente, bem como, a protecção do ambiente.