Ramal de acesso ao complexo da Repsol em Sines vai sofrer reabilitação

04/08/2021

Ramal de acesso ao complexo da Repsol em Sines vai sofrer reabilitação

O ramal ferroviário de acesso ao complexo petroquímico da Repsol em Sines, no distrito de Setúbal, vai ser reabilitado, num investimento de cerca de seis milhões de euros.


A Infraestruturas de Portugal (IP) e a Repsol assinaram dia 4 de Agosto um protocolo para a Reabilitação do Ramal da Petroquímica em Sines, numa cerimónia realizada na sede da IP, que contou com a presença do Secretário de Estado das Infraestruturas, Jorge Delgado, do Diretor-Geral do Complexo Petroquímico da Repsol, Arsénio Salvador e do Presidente da IP, António Laranjo.


A multinacional espanhola vai proceder à ampliação da sua unidade industrial em Sines, criando duas novas fábricas de Polímeros, num investimento de cerca de 650 milhões de euros, apontado como o “maior investimento industrial” da última década em Portugal. Prevê-se a criação de 75 novos empregos permanentes e cerca de 300 indiretos.


Com a construção destas duas novas unidades, está previsto um aumento da produção destinada à exportação para mais do triplo do atual, assumindo a ferrovia um papel preponderante nesse transporte, estimando-se um tráfego de oito comboios por semana para Espanha e de quatro comboios por semana para o Terminal XXI, do Porto de Sines.


Com um investimento da IP estimado em seis milhões de euros, a concretizar até 2024, esta reabilitação incluirá a renovação integral da superestrutura de via, num troço com cerca de 7km, a construção de uma nova concordância com cerca de 1km e respetiva eletrificação, e a instalação sistemas de sinalização eletrónica e de telecomunicações.


O custo desta obra será totalmente amortizado pelo pagamento da taxa de uso associada aos comboios de e para as instalações da Repsol.


O investimento em curso no Corredor Internacional Sul teve um papel muito relevante na decisão da Repsol, dado o peso das exportações para Espanha destas duas novas fábricas.